Accueil

 

Dois zero dois zero

MELMAN Charles
Date publication : 15/01/2020
Dossier : Traduction éditoriaux
Sous dossier : En portuguais

 

Dois zero dois zero
 
 
Dois fatos iluminam o ano que começa.
 
A porta do meu consultório, pichada no meio de outras, e o lançamento do livro de V. S. intitulado “Consentimento”. Sua semelhança é evidente: nos dois casos trata-se de apagar com rabiscos uma saída estimada até aqui honrada para prestar homenagem (é verdade, infelizmente, que há homem aí dentro) ao sexo.
 
Aquele da diretora das edições Julliard narra portanto, com sentimento, como adolescente ela foi seduzida por um velho grafomaníaco que uma vez acalmado tinha aí encontrado recursos para ir mijar cópia. Pedofilia celebrada além disso nessa ocasião por um cristão ortodoxo não menos atravessado por elãs místicos e que o erro, que provocará a ruptura de uma ligação apaixonada e reciprocamente escribogênica, revela-se ser menos a perversão que a infidelidade.
 
Eu confesso: é difícil inclinar-se em favor do fiel de um patriarcado conhecido pela servidão a respeito de autoridades sanguinárias de servidores obesos com mitra. Mas a publicação dessas confidencias torna sensível a nossa época: a exploração licenciosa de um leitorado convidado a desempenhar o papel do juiz e do doutor (parece que as descrições delicadas são clínicas) e somado ao enfiar as luvas de cirurgião para corrigir o culpado, ao mesmo tempo que a proliferação no papel, nos muros e nas portas, de um grafismo tornado ilegível já que discordante da palavra.
 
Isso dito, bom ano de 2020.
                                                                                  Charles Melman
                                                                                  5 janeiro 2020
Traduction faite par Letícia Fonsêca

Espace personnel